[RESENHA #9] Orgulho e Preconceito - Austen, Jane

By Soul dos Livros - 21:00

Boa noite! Depois de jogar com a gente no instagram e no facebook, aproveite essa resenha de um clássico delicioso de se ler ;)



SINOPSE: Jane Austen inicia Orgulho e Preconceito com uma das mais célebres frases da literatura inglesa: 'É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro e muito rico deve precisar de uma esposa'. O livro é o mais famoso da escritora — traz uma série de personagens inesquecíveis e um enredo memorável. Austen nos apresenta Elizabeth Bennet como heroína irresistível e seu pretendente aristocrático, o sr. Darcy. O enredo aborda múltiplos aspectos: o orgulho encontra o preconceito e a ascendência social; equívocos e julgamentos antecipados conduzem alguns personagens ao sofrimento e ao escândalo. Porém, muitos desses conflitos conduzem os personagens ao autoconhecimento e ao amor. O livro pode ser considerado a obra-prima da escritora que, com sua refinada ironia, equilibra comédia e seriedade a uma observação meticulosa das atitudes humanas.




Esse livro... Meu Deus, como resenhar um livro tão maravilhoso? Rsrs.
Ao contrário de "Querido John", é um livro que eu li mais de uma vez (embora não mais que cinco, ainda) sempre descobrindo uma nova coisa que me faz ficar ainda mais apaixonada pelas personagens e pela própria história. Três palavras (preciso de mais...): romance, interessante, clássico.

Todos conhecemos o título pelo filme mais recente (2005), estrelado por Keira Knightley e Matthew Macfadyen, e vocês já ouviram eu falar sobre ele na TAG Livros formadores de Caráter. Após assistir o filme citado fiquei imediatamente interessada no conteúdo do livro. Mas demorei ainda para ler por ter receio da leitura mais "antiga" e achar tedioso. Bem, depois de assistir o filme mais 423 vezes, decidi ler o livro, enfim. Coloquei no meu celular e li como passatempo antes de dormir, um pouquinho por dia. A escrita é um pouco devagar até a metade, porque poucas coisas emocionantes realmente acontecem no início; Austen nos dá um crescimento da história e a conclui a partir da metade do livro pra frente, algumas coisas sendo encerradas somente mais pro final, mesmo. Mas é uma leitura que eu acredito que todos deveriam fazer pelo menos uma vez na vida. Não é um livro que você vai passar altas emoções com ele a todo momento, mas eu acredito que é uma história que pode ser trazida para o atual de certa forma que merece o título de Clássico.

Conta a história de duas irmãs, Jane e Elizabeth Bennet, enquanto demonstra as visões de mundo da época e o preconceito que pode haver ao conhecer alguém. Assim como o orgulho pode cegar as pessoas. Um moço jovem e rico decide alugar uma mansão/propriedade no condado em que moram e traz suas duas irmãs hostis, o marido da mais velha e um amigo que parece mal-humorado a todo momento. Mr. Bingley (o tal moço) é logo cativado por Jane Bennet, e o inverso também, ao frequentar um baile público. Porém, muitas coisas se mostram no caminho dos dois. A mãe é boca aberta e não se comporta bem, as irmãs mais novas também. E enquanto estes dois mantém um encanto um pelo outro, mesmo sem dizer isto um para o outro, outro casal começa a aparecer. Não como romance, mas como homem e mulher que se chocam a todo momento. Conforme vai passando o tempo, Elizabeth acaba se envolvendo com este grupo em prol da irmã. Visita-os quando ela adoece e precisa permanecer na mansão, tem que lidar com o humor volúvel de Mr. Darcy e suportar as volúpias das irmãs arrogantes de Bingley, que é tão adorável como um cavalheiro poderia ser. Elizabeth Bennet e Mr. Darcy, o amigo de cara fechada de Bingley. Mr. Darcy é um homem ainda mais rico que Bingley e Lizzy acaba por colocá-lo em um patamar distante onde ele só se importava em olhar para baixo e observar como as pessoas diferentes dele não eram dignas de conversa. Porém, não é bem assim. Este casal deixa Jane e Bingley como secundários, embora seja o contrário. Só se conhecem e se relacionam porque os dois estão ali em prol do amigo/irmã.

 A história é extremamente bem emendada e trabalhada e acredito que para quem acha que não tem paciência para chegar ao final do livro, seja melhor assistir o filme. A Elizabeth do filme é mais piadista, de certa forma, lidando com ironias. E torna a relação entre Darcy e ela mais interessante de se observar. O filme retrata bem o que acontece entre os dois. Quanto a isso, o livro mostra todo o preconceito que pode haver em um primeiro encontro e em como as pessoas são obrigadas a viver sob um padrão por causa de fofocas e expectativas.

Recomendo para qualquer pessoa, rs. É um livro que é bom conhecer, e ler, mesmo que não seja seu tema preferido. Obrigada por me acompanharem ^^ Até amanhã!!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários