[RESENHA #39] 2323, Sobreviventes Do Caos - Gulim, Bianca

By Soul dos Livros - 10:00

Bom dia, leitores! ^^

Começo essa manhã com uma resenha delicinha de "Sobreviventes do Caos", primeiro volume da série "2323"! A autora parceira Bianca Gulim é um amor e certamente espero continuar essa parceria. Cheia de alegria e calma, quem não a conhece ainda, bem, está perdendo.

Ah, aviso! A resenha está dividida em duas partes. A resenha completa sem spoilers e uma parte com spoilers após o final falando sobre uma parte do livro que acho que merece explicação. ;)

Para a bat-resenha!


ONDE ENCONTRAR: SKOOBAMAZON

SINOPSE: Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.

Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada. Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais cruéis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor.

Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio? Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!




Admito ter começado essa história com pouca expectativa. Não teve muito motivo, mas aconteceu. Enquanto eu lia os primeiros capítulos me encontrei em um misto de curiosidade e receio. A autora apresentou uma narrativa diferente e temas bastante complicados. Então, fui lendo página a página com cautela, tentando não deixar minha animação ir para o espaço, rs. A autora sabe - mais uma autora que teve que me ouvir animada - que a partir do quinto capítulo eu estava super animada para continuar a leitura. Já tinha começado a fazer suposições, torcendo para eu estar certa e tudo mais.

Bom, o livro é narrado por Celine, a personagem principal. Ela é a líder dos guerreiros de seu clã e começa esperando por seu irmão Julio (líder do clã), que saiu da vila alguns dias antes e até então não retornara. Eu tinha falado sobre o estilo da narrativa, em que somos jogados no meio dos acontecimentos, tendo que aprender junto com Celine o que está acontecendo. Eu até que gosto deste estilo, mas acho que neste livro ficou um pouco estranho. Mas a narrativa assim pede que, pelo menos, até o final do livro, o leitor tenha conhecimento de alguns fatores já claramente do universo do livro - e isso acontece. Faltam algumas coisas, pois as próprias personagens do livro parecem não saber também, mas o cenário geral nós temos.

A história em si é bem legal, eu gostei de como o enredo foi se complicando, a autora matou personagens que eu realmente não esperava que ela fosse ousar. Então Celine em certo ponto se vê tendo que tomar decisões que mudarão a vida dela e de seu povo, tendo de se aliar a pessoas que até pouco tempo achava serem selvagens, e que não parecem gostar dela. Embora eu tenha gostado de bastante coisa no livro, acho que ele acabou na hora errada. Senti aquela sensação de: "Ué? Mas acabou?" e, embora possa ser considerado como um "quero-mais", não foi esse efeito que me deu. Foi mais uma sensação de confusão, mesmo. Mais para frente conto com spoilers.

Outra coisa de Celine que não sei se me tocou foi o modo invencível que ela foi apresentada. Aparentemente ela é sensacional, ela sabe disso, e todos devem saber também. E acho que me incomodou um pouco. Entendo completamente o fato de ela ser poderosa e uma ótima guerreira, ela não seria líder deles se não o fosse, mas não sei. Gosto das cenas de luta, quando ela tem que mostrar para o que veio com certeza faz direito. Acho que faltou um pouco de demonstração de como ela é forte, ao invés de descrição. De qualquer forma vemos Celine em maus bocados aqui e ali, ela perde pessoas, tem que lidar com vários ataques múltiplos, fugir quando quer ficar. É bastante rápido. Mas em algumas cenas não conseguimos muito o nervoso de "meu Deus, será que ela vai sobreviver?" porque o próprio livro parece nos dizer: "ela consegue, relaxa".

Algo que eu preciso mencionar aqui é o modo com que a autora passa as emoções, os sentimentos de Celine para nós. Dá para sentir sua raiva, sua paixão, sua vontade. É extremamente cheio de tensão, sofremos com ela quando descobre que alguém se foi, sentimos o nojo dos vilões sem escrúpulos que ela sente. E com certeza gostei da cena meio hot que tem no livro, não é minha favorita, algumas coisas nela me dão vontade de socar o cara, mas não dá pra falar que a autora fez mal, a cena. É algo realmente bem escrito e gostei demais de como a autora conseguiu passar todas as aflições e receios de Celine.

Ah, pessoal! Teve um quase triângulo amoroso que - como sempre - eu torci para o lado errado. Este foi um ponto também que eu fiquei meio confusa, pois pareceu que a autora queria ir por um caminho, mas depois voltou atrás e retomou ao que mostrou no início. As duas pontas masculinas do triângulo: Max (de quem já falei nas Primeiras Impressões) e Luke (que surge no decorrer da trama e a ajuda várias vezes), são duas personagens que ficaram um pouco estranhas. Max é até que compreensível, na verdade, tudo o que ele demonstra é bastante de acordo com o que pegamos dele à primeira lida; mas Luke é uma paixão que surge por Celine um pouco com pressa, quase sem motivo, é um encantamento rápido. De qualquer forma, gostei do casal final, eles meio que se encaixam.

Acho que recomendo para quem quer uma história para passar o tempo, mesmo. É uma leitura rápida, que te prende com as sensações e as tensões. Não amei, mas certamente foi uma leitura que valeu a pena. Vou falar do final aqui embaixo, acaso não queira spoilers, por favor, encerre a leitura por aqui :)

Muito obrigada pela atenção!

.
.
.
.
.
SPOILERS ABAIXO
.
.
.
.
.
Ok, vamos falar sobre o final!

Vou explicar. A história discorre sobre vários eventos misteriosos, que não fazem sentido. O clã que o povo de Celine protegia se revela traidor e montando aliança com o clã da areia, e seu terrível líder. Durante todo livro tentamos entender junto com Celine por que o líder do clã da areia - um clã relativamente recluso que descobrem ser composto por milhares de habitantes, não centenas como o de Celine - ajuda Jafar, o líder dos Aligortes, ao se virarem contra o povo de Celine. Jafar é um líder cruel e frio, mas seus homens não são guerreiros, são péssimos com a luta, não servem para quase nada. De início, vemos que ele pretende que Celine treine seus homens com o treinamento guerreiro de seu clã e que as mulheres procriem para gerar mais guerreiros, um exército.

Então, resumindo, Celine tem que arranjar um modo de se defender do clã da areia com poucos guerreiros e alguns guerreiros fugidos do deserto, que trouxeram suas famílias e vida para a floresta onde Celine mora. Não vou falar muitos detalhes sobre. Quando a grande batalha está acontecendo, ela vence a primeira leva de guerreiros e o segundo exército (ainda maior) se aproxima. Os que sobraram estão machucados e impossibilitados de lutar. Todos apontam armas para eles e os ameaçam, mas por algum motivo recebem ordens para não matar Celine. E tanto quanto ela, não entendemos mais qual seria a necessidade dela para Jafar e o clã da areia.

Durante o livro, descobrimos o passado de sua família. Seu pai quis convencer a fortaleza (o clã superior e tecnológico) de que ela deveria dar armas para seu povo, mas para isso decidiu atacar seu próprio povo em via de usar o argumento de que "precisavam para se defender dos ataques". É claro que a fortaleza não mordeu a isca e o pai dela se viu encurralado entre a aliança com o povo vizinho (que ele culpou pelos ataques) que traíra, e a ira de seu próprio povo. Resolveu fugir. E isso resultou na morte da mãe de Celine (que na época tinha pouco mais de nove anos) e em sua captura, e tortura ao acharem que ela tinha informações. Não sabemos sobre o pai dela. Achamos que ele está morto.

Exato. O pai dela é o rei do clã da areia, e ele sai da liteira na qual o carregam para mandar seus homens se acalmarem, pois "estamos todos em família, afinal". E o livro acaba. Eu achei esse final muito estranho, pois esperava algo muito mais... Eu não sei. Talvez algo mais bem acabado, com um toque de suspense. Ou, então, que o livro continuasse um pouco mais para acabar em outra cena. Esperamos o livro inteiro para saber quem é o rei do povo da areia, afinal. Mas aí já estou exagerando no meu papel de leitora.

Bom, o final levantou a curiosidade, sim, mas eu me senti um pouco indignada por simplesmente acabar. Mas é minha opinião, acho que vai de cada um. :)

Obrigada por lerem!

Até a próxima.

  • Share:

You Might Also Like

4 comentários

  1. Oi, gostei da sua resenha. Não li a parte com spoilers rsrs Sobre a personagem ser apresentada como invencível, é comum em distopias, repare em Katnnis ou Triste, por exemplo. Books Club

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Tais, autora do livro aqui, tudo bem?
      Que bom que não leu a parte com spoiler. Acho que eu não resistiria, e me arrependeria depois!
      Espero que tenha a oportunidade de ler o livro em breve.
      Um beijo,

      Excluir
  2. Vi, gostei da resenha principalmente pela sinceridade, mas também pela forma como a conduziu. Em relação ao que mencionou sobre Celine, isso é um dos aspectos que mais me incomoda em personagens, eles aparentam serem perfeitos demais e sabemos que seres humanos não o são. Enfim, eu evitei ler os spoiler porque vou receber este e-book então não me convém hahaha Mas julgo que você realizou um bom trabalho! Parabéns de novo!

    Um beijão, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir