[RESENHA #56] Dragões de Éter, Caçadores de Bruxas - Draccon, Raphael

By Soul dos Livros - 17:13

Boa noite, leitores!

Ao procurar mais livros para fazer parte do Junho Soul, fiquei impressionada ao ver que nunca fiz uma resenha dessa minha leitura sensacional. Foi o primeiro livro que eu li no Soul dos Livros, mas na época eu ainda não tinha aberto o blog e não fiz uma resenha. Tive que espremer a cachola para lembrar dos detalhes, até fui dar uma relida em algumas páginas, rs. Esta provavelmente vai ser uma daquelas resenhas longas que eu faço quando o livro tem coisas demais a ressaltar. Tenham paciência comigo, rs.



NOTA: 5/5

ONDE ENCONTRAR: SARAIVA - AMAZON - SKOOB


SINOPSE: Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga. Essa influência e esse temor sobre a humanidade só têm fim quando Primo Branford, o filho de um moleiro, reúne o que são hoje os heróis mais conhecidos do mundo e lidera a histórica e violenta Caçada de Bruxas. Primo Branford é hoje o Rei de Arzallum, e por 20 anos saboreia, satisfeito, a Paz. Nos últimos anos, entretanto, coisas estranhas começam a acontecer... Uma menina vê a própria avó ser devorada por um lobo marcado com magia negra. Dois irmãos comem estilhaços de vidro como se fossem passas silvestres e bebem água barrenta como se fosse suco, envolvidos pela magia escura de uma antiga bruxa canibal. O navio do mercenário mais sanguinário do mundo, o mesmo que acreditavam já estar morto e esquecido, retorna dos mares com um obscuro e ainda pior sucessor. E duas sociedades criminosas entram em guerra, dando início a uma intriga que irá mexer em profundos e tristes mistérios da família real.





"Dragões de Éter - Caçadores de Bruxas" é o primeiro volume da trilogia e tem como universo uma terra fictícia onde encontramos várias referências dos nossos contos de fadas conhecidos. Porém, bem diferente também. O livro é permeado com vários personagens conhecidos, como João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, o caçador que mata o lobo, o Capitão Gancho, tudo isso com novas versões e detalhes, dando uma novidade a cada história, tornando-as diferentes e outras. A Chapeuzinho Vermelho ganhou esse apelido quando o seu gorro branco foi tingido pelo sangue da avó e do lobo; além disso, tem muito mais a conhecer sobre sua própria família. E cada história de contos de fadas que conhecemos tem esse algo a mais que só lendo a narrativa de Raphael Draccon você é capaz de descobrir.

No começo do livro temos alguns capítulos onde o narrador apresenta os personagens que farão parte da narrativa principal. São capítulos de tamanhos variados, contando alguns fatos sobre cada nome que aparece e alguns acontecimentos que para nós ainda não faz sentido algum. Somente conforme vamos lendo, os acontecimentos vão se juntando até ligarmos os pontos e entendermos a imagem completa. Tudo o que sabemos sobre o mundo geral de Nova Ether é que houve uma grande caça às bruxas há anos que consagrou o herói do povo como seu Rei atual, um guerreiro que dizimou as bruxas e trouxe paz para a terra. Só que agora começaram a aparecer vestígios de magia em alguns eventos inexplicáveis e a paz está sendo ameaçada.

Dentro desse grande cenário de acontecimentos, temos nossos personagens vivendo e seus problemas particulares. João e Maria tentam ajudar um professor a resolver enigmas, Chapeuzinho Vermelho descobre segredos de sua família, sem falar dos Príncipes do reino, que também precisam fazer sua parte para proteger o reinado de seus pais. Então é um livro relativamente comprido, de mais de 440 páginas com bastante conteúdo. Nesse emaranhado de ocorridos, o Príncipe Axel - o Príncipe mais novo, chamado de "do povo" - conhece Maria Hanson e nosso querido casal acaba se apaixonando. Uma plebeia e um príncipe, não é muito divertido? Mesmo sendo cliché, o jovem romance acontece leve e gostoso de acompanhar, e bem nos fundos da história! Temos apenas alguns capítulos dos dois juntos, mas são capítulos tão significativos que eu adorei rs.

O narrador é em terceira pessoa, acompanhando vários personagens, alguns a cada capítulo. Minha irmã leu e achou o narrador prolixo e enrolado. Eu achei muito divertido o modo como ele comentava e parecia se divertir ou irritar conforma narrava. Realmente parece que temos um narrador vivo contando as histórias. Esse livro você tem que ler com calma e atenção, para não perder os ganchos que o autor faz. Tem coisas que acontecem mais para frente que só entendemos se nos lembrarmos de fatos dos capítulos anteriores. Então atenção, galera! rs.

Recomendo para quem quer ser surpreendido em um livro de fantasia!

Obrigada, e até amanhã!

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários